• Share
  • Facebook
  • Twitter

Primeiros resultados

Depois de várias simulações, a equipe analisa os resultados:

Com um rebocador padrão, sabemos agora como deslocar um iceberg que pesa vários milhões de toneladas, por milhares de quilômetros. No caso das Ilhas Canárias, o trajeto pode ser percorrido em 141 dias.

Além disso, com a utilização de um sistema de proteção eficaz contra o degelo, sabemos como limitar a deterioração do iceberg. No caso das Ilhas Canárias, o iceberg perde em média 38% de sua massa.

Sabemos também que a utilização de vários rebocadores durante o trajeto não reduz o tempo do percurso. Apenas aumenta o consumo de combustível.

Por último, é inútil lutar contra as forças da natureza pois elas são muito poderosas. Isso também só aumenta o consumo de combustível e, de qualquer maneira, o comboio sofrerá as consequências das forças da natureza. Este raciocínio é perfeitamente coerente com a lógica da deriva assistida, cujo objetivo é adaptar às condições de "deriva natural" do comboio.

Veja o documentário científico para TV

Watch the scientific TV documentary and have a chance to win the blu-ray edition

Galeria